• KEA Clinic

Bate-papo com Renata Farrielo, Nutricionista na KEA Clinic!

Atualizado: 25 de Jul de 2019

A KEA Clinic conta com profissionais extremamente qualificados em um ambiente aconchegante. Nosso diferencial está no atendimento totalmente personalizado, com tratamentos individuais conforme suas necessidades e objetivos, aflorando em nós a paixão em cuidar de cada um. Hoje, nossa Nutricionista, Renata Farrielo, responde perguntas sobre nutrição, emagrecimento e saúde. Confira:


Conte um pouco da sua trajetória profissional.


Sempre fui muito curiosa e apaixonada pelo mundo da alimentação. Minha mãe tinha uma cafeteria e desde muito cedo, com cerca de onze anos, eu aprendi a cozinhar para ajudar nas tarefas. Já naquela época o público começava a se interessar por alimentos mais saudáveis e minha mãe e meu pai criavam menus com opções de lanches mais naturais e almoços executivos com mais saladas e legumes. Adorava participar de todo o processo.


Antes mesmo de entrar na faculdade meu pai sempre dizia que deveríamos vivenciar a profissão que queríamos exercer e logo comecei a procurar estágios. Sete dias após enviar o meu primeiro Currículo, ainda no primeiro mês da faculdade na São Camilo, fui chamada para uma entrevista em um restaurante de alimentação saudável, onde uma das proprietárias era nutricionista e tinha no mesmo espaço o seu consultório. Fui aprovada, naquele tempo esse segmento não era tão comum quanto hoje e cada dia era um novo aprendizado. Um ano depois a nutricionista saiu da sociedade e me chamou para trabalhar com ela como estagiária no consultório e auxiliar na criação de um serviço inovador de entrega de refeições personalizadas em São Paulo. Meus dias eram divididos entre auxiliar na clínica duas vezes por semana e nos outros dias participar das criações de receitas, cardápios, processos de logísticas e produção na cozinha.


Me formei e em seguida fiz minha Pós-Graduação em Nutrição Esportiva e Estética com ênfase em Wellness no Centro Universitário São Camilo, onde fui convidada a coordenar durante um ano as atividades dos estagiários de nutrição no Clube AABB. Durante mais de seis anos me mantive nesta rotina aprendendo sempre mais sobre diversas áreas da empresa. Em 2012 fui convidada a tomar conta das áreas de consultoria e marketing e acabei saindo da área clínica. Fiz um curso de extensão na em marketing na ESPM, participei de projetos de qualidade de vida e nutrição com grandes empresas como Electrolux e Editora Abril, coordenei equipes de criação de conteúdo de Nutrição e estive a frente no desenvolvimento de conteúdo, receitas e fotografia para o livro da Revista Boa Forma: “Cinco pontos essenciais para emagrecer”. Durante esses anos continuei frequentando cursos e congressos da área clínica, principalmente de Nutrição Comportamental.


No começo de 2018 sentia falta da rotina de clínica, de poder contribuir mais ativamente na saúde das pessoas e por isso voltei a estudar. Fiz cursos sobre Comer Intuitivo, Entrevista Motivacional, Design Thinking para consultório, Técnicas de Coaching em Nutrição, Nutrição em Estética, Empreendedorismo para Nutricionista e estou finalizando uma formação de Nutrição Comportamental. Em outubro de 2018 recebi o convite para entrar na equipe da Kea Clinic, assumindo a grande responsabilidade de substituir a Nutricionista Mariana Marcatto, com quem estudei durante toda faculdade e que além de ser uma amiga pessoal, sempre foi uma inspiração na área clínica.

Como é fazer parte da equipe da KEA Clinic?


Fazer parte da Kea Clinic com uma equipe multidisciplinar tem sido incrível! A Dra. Elaine e a Juliana têm um trabalho lindo! Acredito muito no conceito da clínica, que é o atendimento humanizado, com foco no cuidado, bem-estar e qualidade de vida. Toda a equipe é extremamente acolhedora com os pacientes, o que torna o ambiente muito agradável, além de trazer resultados efetivos e duradouros. É a realização de um sonho!


Como são as consultas?


Com uma abordagem comportamental e humanizada, as consultas de Nutrição duram aproximadamente uma hora e são totalmente individualizadas e personalizadas, sempre focadas no objetivo de cada paciente. Após uma conversa inicial, anamnese, avaliação dos hábitos alimentares e avaliação física com exame de bioimpedância, que mede a composição corporal (% de gordura, % de massa magra e % de água), iniciamos um planejamento com orientações nutricionais e com ações práticas para que as mudanças sejam viáveis dentro da rotina e cenário de cada um.


O paciente recebe não só as orientações nutricionais, mas também um e-book com ferramentas personalizadas para planejamento das refeições, receitas selecionadas e acesso a um aplicativo de nutrição com diversas funções, inclusive um chat para comunicação comigo durante o período de acompanhamento alimentar. Essa proximidade com o paciente facilita as orientações e posso tirar as dúvidas que venham a surgir durante o processo inicial.


Qual a diferença entre dieta e reeducação alimentar?


O termo dieta, apesar de um dos significados ser simplesmente a cota de alimentos sólidos e líquidos que a pessoa ingere em um dia, tem uma conotação de restrição e sofrimento. Muitas pessoas acham que para ter o resultado desejado precisam fazer “dieta” e se privar de alimentos que gostam. Essa mentalidade de dieta causa ansiedade, compensações e em muitos casos transtornos alimentares.


Acredito que a alimentação faz parte de diversas fases e momentos da nossas vidas e que a Nutrição pode ir muito além do emagrecimento. A alimentação tem aspectos simbólicos, sociais, culturais e afetivos. Acredito que a receita para a saúde vai além do físico. Estamos vivendo uma era de muita correria e stress, tudo é muito acelerado. A reeducação alimentar envolve também aprender como ter mais qualidade de vida e bem-estar, por isso trabalho na melhor relação com os alimentos, mente e corpo, resgatando o prazer em se alimentar, reconectando com os sinais de fome, saciedade e satisfação, sempre em conjunto com os objetivos de cada cliente.


Muitas pessoas apelam para dietas da moda e muito restritivas para perder peso, quais são os perigos desses regimes?


Já está comprovado cientificamente que as dietas restritivas não funcionam a longo prazo, causam o famoso efeito sanfona, além de trazer riscos para a saúde física e mental. Muitos estudos mostram que ao restringir excessivamente as calorias do dia, nossa taxa metabólica diminui, ou seja, o organismo passa a gastar menos calorias para fazer a mesma atividade. Esse é um mecanismo de proteção do nosso corpo para que os estoques de gordura se mantenham por mais tempo. Além disso, as proteínas do corpo acabam sendo utilizadas como fonte de energia e com isso consumimos massa magra, o que não é interessante para a saúde do corpo como um todo.


Como já citei anteriormente, as dietas restritivas causam ansiedade e em muitos casos, um comer transtornado. As pessoas ficam com medo de ingerir determinados alimentos e isso gera o que chamamos de terrorismo nutricional.


O caminho para a saúde é o equilíbrio. Conhecer melhor os alimentos, os grupos alimentares, fazendo escolhas conscientes, combinando melhor os ingredientes em uma receita e principalmente conhecendo o seu próprio corpo.


Qual a melhor maneira de emagrecer mantendo a saúde?


Não existe uma maneira que seja igual para todos, pois cada indivíduo tem uma rotina, necessidade fisiológica, cultura e história de vida diferentes. Mas sabemos que, no geral, uma alimentação rica em frutas, legumes, verduras, cereais integrais, leguminosas, proteínas de boa qualidade e com menos alimentos industrializados, em quantidades adequadas promove um emagrecimento duradouro e uma melhor qualidade de vida.


Como evitar o efeito sanfona?


Uma alimentação equilibrada em nutrientes e quantidades adequadas para cada paciente promove um emagrecimento sustentável e duradouro. Costumo dizer uma frase muito boa sobre isso: “Mais importante que a velocidade do percurso, é a direção do caminho”. De nada adianta emagrecer rápido e ganhar o dobro meses depois. A mudança do estilo de vida e o resgate de bons hábitos é a forma mais eficaz de evitar o efeito sanfona.


Quais são suas dicas para manter uma dieta balanceada na correria do dia a dia?


Planejamento! A primeira coisa é determinar quanto tempo a pessoa tem para se dedicar a alimentação. Trabalho diversas ferramentas de planejamento das refeições da semana. Na maioria dos casos é necessário dedicar um tempo para planejar, comprar (seja ingredientes ou comidas já preparadas), cozinhar e disponibilizar os alimentos que estão de acordo com os seus objetivos. Caso a pessoa tenha pouco tempo pensamos em alternativas.


Nos dias de hoje temos muitas boas opções no mercado. Sejam empresas de produtos congelados, produtos frescos, profissionais que podem ir cozinhar em casa e até mesmo produtos industrializados (exceto ultra processados), que podem facilitar uma alimentação mais saudável. Cada pessoa tem uma rotina, mas com certeza existem muitas opções para viabilizar esse processo.


De quanto em quanto tempo devemos nos alimentar?


Essa também é uma questão individual que tem relação com hábito e sensações. No geral, oriento os pacientes a fazerem pelo menos cinco refeições (café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar), mas isso pode variar para mais ou para menos de pessoa para pessoa.


Qual a importância da água para a saúde? Qual a quantidade diária recomendada?


A água é essencial para a saúde porque está presente em muito processos de extrema importância do nosso organismo, é componente do sangue, linfa e de todas as secreções corporais; está presente nos processos de digestão, absorção, metabolismo e excreção do organismo; influencia na saúde da pele, cabelos e unhas, além de ser essencial na manutenção da temperatura corporal.


No geral, a orientação é o consumo de dois litros por dia, mas essa quantidade pode variar, pois cada pessoa tem uma necessidade específica, de acordo com sua altura, peso e hábitos, considerando também a temperatura ambiente e outros fatores.


Em minhas consultas costumo perguntar sobre a cor da urina: se estiver amarelo-escuro ou alaranjada, é sinal de que precisamos aumentar a ingestão de água, e se estiver urinando muito e a urina estiver muito clarinha, quase transparente, muito provável que esteja ingerindo água em excesso.


Refrigerantes, doces e bebidas alcoólicas, devemos mesmo evitar?


Trabalhando com a abordagem da Nutrição comportamental gosto sempre de diferenciar bem os termos “evitar” e “cortar”. Muito alimentos que sabemos que em excesso fazem mal devemos evitar, como é o caso dos refrigerantes, doces e o álcool, mas isso não significa que eles não podem fazer parte de mais nenhum momento da sua vida. O que é importante é sabermos identificar quais são os alimentos que realmente são essenciais e em quais momentos.


Aplico muito um exercício que chamamos de “Perdas e Ganhos” e nada mais é do que saber avaliar o que você irá perder e o que você irá ganhar se você deixar de consumir e se você consumir determinado alimento. Em algumas situações será importante permitir e em outras não. É um exercício que precisa ser trabalhado da forma correta para que traga os resultados adequados para o bem-estar e saúde de cada um.


Aqui, na KEA Clinic, contamos com uma equipe multidisciplinar qualificada, que avalia cada caso individualmente para garantir os melhores resultados.

Entre em contato com a KEA Clinic pelo telefone (11) 4750-1854 (11) 93320-0808 (whatsapp).

0 visualização

ENTRE EM CONTATO

  • White YouTube Icon
  • White Instagram Icon
  • White Facebook Icon

ENDEREÇO

Rua Cristiano Viana, 401 - 5° andar

Jardins

São Paulo, SP

05411-000

TELEFONES

Entre em contato por aqui: